Marcelo Tas esclarece em seu blog reportagem da Folha Online

Semana passada a Folha Online publicou a seguinte reportagem sobre uma pane que teria ocorrido no fornecimento dos serviços do Speedy, e por isso, publicaram essa nota afirmando que Marcelo Tas estava recebendo um “bombardeio” de críticas em seu twitter. Claro, que era mentira. Segundo ele, foram recebidas apenas 3 críticas, se é que assim se pode dizer. Leia a reportagem e observe as “falhas”..

O Speedy, serviço de internet banda larga da Telefônica, está em colapso nesta semana. Ato contínuo: Marcelo Tas, apresentador, blogueiro e garoto-propaganda da empresa, recebe dezenas de críticas e comentários enviesados pela internet. Até a publicação desta reportagem, já foram por volta de 50 mensagens só pelo Twitter.

A pane da conexão da Telefônica, que já dura pelo menos cinco dias, afetou milhares de internautas. Manifestações associadas a Tas contra o serviço da empresa ocorrem tanto na caixa de comentários do blog do jornalista quanto no seu perfil de microblog.

Cobranças diretas (“Ei, Marcelo Tas, quando volta meu Speedy?”), insinuações (“E ainda há quem sucumba a fazer tweet pago pra Tele(a)fônica”) e ironias (“A Telefonica anda merecendo um ‘Proteste Já’ [quadro do “CQC”]. Mas algo me diz que o Marcelo Tas não vai fazer.”) relativas à pane se espalham pelo serviço de microblog, cujas postagens não ultrapassam 140 caracteres.

Marcelo Tas

No Twitter e no site do Speedy, Tas faz propaganda do serviço Xtreme, um pacote de TV fechada, telefone e internet por fibra óptica da companhia espanhola. Ele diz que ligar sua imagem à pane da empresa não passa de “manipulação” –Tas tem mais de 29 mil seguidores por lá e destaca que, por comparação, o universo de críticos é “insignificante”.

Os internautas só ficaram sabendo que ele estava fazendo propaganda para divulgar um serviço da Telefônica após o diário econômico norte-americano “The Wall Street Journal” publicar uma reportagem mostrando que ele tinha sido contratado pela empresa para fazer “tweets” (mensagens de até 140 caracteres) citando o serviço Xtreme.
“Senti a reação caipira de algumas pessoas em ver isso como algo venal, de que estou vendendo um serviço”, disse Tas, à época. Ele se referia às críticas de alguns internautas de que teria “se vendido”. Para Daniel Castro, jornalista da Folha que assina a coluna “Outro Canal”, Tas afirmou que não acha ético que jornalista faça propaganda disfarçada. “Mas não é absolutamente isso o que estou fazendo”, rebateu.
A Folha Online entrou em contato com Marcelo Tas ontem. “Eu não estou sendo alvo de críticas. Isso é você que está dizendo. Algumas pessoas mal-informadas que estão fazendo essa confusão, mas a maioria das pessoas não está falando isso”, disse. Tas ressaltou que a Telefônica é patrocinadora do “CQC”, mas nem por isso associam o integrante Rafinha Bastos à deficiência dos serviços prestados pela companhia.

“Tenho tudo isso registrado. Essa tese, para mim, é totalmente manipuladora. Eu tenho elas [as mensagens] aqui. Eu avaliei e é insignificante.”

Tas disse ainda que não é porta-voz “nem da Telefônica, nem da Pepsi, nem da Skol, de nenhum dos patrocinadores”, e que, portanto, não tem “nada a dizer” sobre a pane do Speedy.

Fonte.

 Tas, claro, e por direito, se defendeu em seu blog. Confira aqui.

Aqui, a minha opinião:

Poucos como eu, valorizam e estimulam a opinião dos internautas. Porém, o uso sem critério desta opinião como base de uma “reportagem” pode levar a uma deformação que nada contribui à livre circulação da informação nem à qualidade do jornalismo.

Depois da publicação da “reportagem” de Marina Lang, que ficou por dois dias entre as mais lidas da Folha Online, recebi- aí sim- centenas de “críticas” e “denúncias” sem pé nem cabeça. Gente ligando a minha figura à de Paulo Maluf e até aos irmãos Richthofen! Ao invés de informar, a “reportagem” de Mariana Lang simplesmente deformou a opinião do internauta ingênuo ou recalcado. Entre os que me insultaram, para ficar em apenas um exemplo, um tal Fausto Salvadori, que no twitter identifica a si próprio como: “jornalista, maldoso, marron e violento”.

Em plena revolução digital, com a abundância de recursos de comunicação diante de nossos olhos, acredito que não devemos praticar ou aceitar esse o tipo de “jornalismo” praticado por Marina Lang.

Folha Online

 

Anúncios

Sobre Portal CQC OFICIAL

Seu portal de notícias sobre o CQC!

Publicado em 10/04/2009, em CQC. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Rayssa Louza

    *-*

  2. DrensewekDove

    Just want to say what a great blog you got here!
    I’ve been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

    Thumbs up, and keep it going!

    Cheers
    Christian, iwspo.net

  3. DrensewekDove

    Just want to say what a great blog you got here!
    I’ve been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

    Thumbs up, and keep it going!

    Cheers
    Christian,Earn Free Vouchers / Cash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s